quarta-feira, outubro 24, 2012

O Quotidiano (no Luxemburgo) - Editorial


Outubro
"Outubro é o décimo mês do ano no calendário gregoriano, tendo a duração de 31 dias. Outubro deve o seu nome à palavra latina octo (oito), dado que era o oitavo mês do calendário romano, que começava em Março."

No final de Outubro de 1974, parti da minha terra natal – Moçambique – para vir viver no país que me viu nascer. Nasci português numa terra distante, mas em território nacional. Uma colónia, uma terra, um país que nunca mais visitei.

Eu sou do tempo em que as aulas começavam na primeira semana de Outubro. Era uma noite em que não se dormia, ansioso por ver os velhos e novos amigos da escola. O dia no ano em que tudo mudava: deitar cedo e cedo erguer...

Em 1987, também por essa altura do ano, entrava para a Universidade (do Porto). Era um mundo novo. Éramos adultos, as exigências eram outras e as relações eram muito mais próximas. Felizmente, guardo com carinho muitos dos amigos dessa altura.

Dois anos depois, em Outubro, mudava-me para a cidade de Aveiro para ir estudar na Universidade. Deixava os pais e a namorada para trás. Passava a ser quase independente. Tinha uma semanada para gerir e um curso para tirar. Foi um período muito feliz em que fiz mesmo muitos amigos, fizemos juntos grandes festas e tivemos muitas aventuras. Sobretudo cresci muito.

Em Outubro de 1994, acabava o meu curso universitário e ingressava na vida profissional. O meu primeiro emprego a tempo inteiro! Não foi o melhor emprego da minha vida, mas foi o primeiro.

Dia 18 de Outubro de 1997, casava-me. Num belo dia de chuva intensa, em Vila Nova de Gaia, dizíamos sim a uma relação que já conta, hoje, 20 anos. Já lá vão 15 anos!

Há 13 anos, também em Outubro, sabia que iria fazer um estágio de quase um ano na sua maioria do tempo na Califórnia, Estados Unidos da América. Embora só começasse em Janeiro de 2000, a sorte foi ditada em Outubro de 1999 e as preparações começaram por essa altura. Talvez tenha sido um dos períodos mais marcantes da minha vida e de maior transformação. Houve bons e maus momentos, como é normal quando se está sozinho e longe.

Em 2004, em Outubro, ficava a saber que a minha curta estadia de três meses no Reino Unido iria terminar em breve. Voltámos em meados de Novembro. Desta vez tínhamos ido juntos, eu e a Cláudia. Foi um ponto de viragem muito importante nas nossas vidas, apesar da curta duração da estadia. Por essa altura adoptávamos a nossa gata Cinzas.

Um ano depois, também em Outubro, confirmava-se a gravidez da Cláudia e o Baltasar nasceria quase nove meses depois. Não tenho palavras para descrever o que senti nessa altura. O nosso primeiro filho... Acho que quem é pai sabe do que falo e quem não o é espero que um dia saiba o que quero dizer.

Talvez me esteja a esquecer de muitos outros Outubros, mas de momento estes são aqueles que mais me fazem sentir saudades.

E chegámos a Outubro de 2012. Se em 2000 parti para os Estados Unidos sabendo que ia estar sozinho nove meses, em 2004 fui para Inglaterra com a Cláudia e, agora que chego ao Luxemburgo, sei bem que somos quatro. A conta tem sido sempre de multiplicar... Por dois!

Se por um lado sei que as coisas podem ser mais fáceis porque em breve iremos estar juntos, na verdade a responsabilidade é maior, porque há duas crianças a crescer e para educar. E há um período longo de transição, em que estarei sozinho, depois com o Baltasar e só algum tempo depois estaremos todos juntos.

Por outro lado é a primeira vez que parto (ou partimos) sem ter data prevista para voltar. Como português tenho saudades e tenho o desejo de voltar, mas sei que não o farei com tanta brevidade como das outras vezes. Desta vez a estadia é mais prolongada.

Mas o mundo mudou. As viagens estão cada vez mais fáceis de serem feitas. Mais baratas, mais frequentes e mais seguras. Além disso o Luxemburgo está apenas a 2:30 de Portugal. Irei a Portugal (estava quase a escrever "casa", mas...) mais frequentemente. E espero que os meus amigos saibam também fazer a viagem em sentido contrário e nos venham visitar.

E quem sabe, não voltarei para a minha casa original num qualquer Outubro.


Nota: Esta não é uma carta ao Presidente da República.

4 comentários:

Nuno Guronsan disse...

Sempre achei que Outubro era um grande mês ;)))

Toda a felicidade do mundo para vocês os 4!

Abraço!

Catarina Antunes disse...

Olá Rui!
Eu, que nunca tinha lido as "Crónicas da Califórnia", já sou fã das "Crónicas da (a depois da) Califórnia"! Beijinhos para os 4. :)

MJV disse...

Obrigada pelas noticias! bebe umas cervejas locais por mim! :)

Bahadur Kaur disse...

E assim fico a saber de notícias realmente importantes...! Bons ventos vos levem, amigo (posso?). Que tudo corra bem, muita muita força para a transição, adaptação, para as saudades... Sempre sempre Keep Up! Abraço forte!